Politicamente (in) Correto

Gestão de imagem pessoal – Quando as pessoas são bonecos virtuais.

Artigo de Marta Cardoso na Edição nº 100 da RHmagazine

Artigo de Marta Cardoso na Edição nº 100 da RHmagazine

 

 

O peso da imagem

Vivemos, cada vez mais, no mundo da imagem.

A aparência tem um valor incalculável e tornou-se no cartão de visita de cada pessoa. Através da maneira como cada um se veste, como se comporta, a postura que tem (e o peso na balança) a sociedade tira elações sobre a personalidade, carácter e valores de cada ser humano.

Na mesma medida o cargo que ocupa, a taxa de sucesso na escola, o tipo de amigos ou pessoas com quem se cruza e lida acrescentam uns pós a esta estrutura (que já se aprende na escola).

O resultado acaba por ser aquele desastroso que (quase) todos, em consciência, acabam por criticar: as pessoas são marcas, um número, vendem uma ideia e não a realidade. Quem são, de facto? Muitas vezes ninguém sabe. Nem as próprias, que acabam por representar o papel de quem gostariam de ser por tanto tempo, que perdem a própria identidade.

 

O papel das redes sociais

As redes sociais ajudam a isto e têm o seu papel: os adolescentes medem o seu grau de sucesso pelo número de “likes” dos seus posts e tornam-se exímios a tirar aquela foto que os favorece ou a utilizar aquela linguagem específica que está na moda e arranca “gostos”.

Cada vez mais ninguém respeita os seus próprios ideais. Porque cada vez menos os têm! Andam ao sabor do vento, do que os outros dizem e acham, não sabem quem são nem para onde querem ir. Vivem no mundo virtual como se ele fosse real e escondem-se atrás da tecnologia. Usam o corpo como um instrumento e através dele fazem a gestão da sua imagem pessoal.

A gestão da imagem pessoal é – cada vez mais – uma doutrina. Se está adequada ao mundo em que vivemos? Sim. Se a aplaudo? Não. É artificial, é criada, e não responde à minha questão de sempre: Quem são as pessoas?

Texto de Marta Cardoso na edição nº100 da RHmagazine

You Might Also Like

1 Comment

  • Reply
    Rosa Machado
    9 Outubro, 2015 at 15:20

    Excelente Texto… Gosto muito deste projecto.

  • Leave a Reply