Big Brother

Big Brother 1 – Ep.1 – Começa a aventura!

Teresa Guilherme. TVI. “Começa hoje o Big Brother. Chegou o grande momento!

Nos últimos meses este programa tem sido o principal assunto das conversas nos empregos, nos cafés, na casa de milhões de portugueses. Muito se tem dito, discutido e inventado sobre o programa que vai marcar para sempre a história da televisão em Portugal! E também no mundo…

A partir de agora não haverá espaço para mais especulações, a imaginação vai dar lugar aos factos.

Bem-vindos ao Big Brother. Bem-vindos à novela da vida real”.

O que a apresentadora, certamente, não imaginava – nem ninguém – era o tiro certeiro das frases que proferiu…

Concorrentes na passadeira vermelha

Todos nós – um a um – íamos desfilando na passadeira vermelha, de malinha na mão. Era tudo muito rápido! A Teresa a falar connosco, os colegas a desfilar, a surpresa das famílias presentes na despedida, as luzes e os gritos… estava atordoada, sem olhos e ouvidos que chegassem para tanta coisa, e defendia-me atrás do sorriso tentando aparentar segurança na minha primeira prova de fogo…

Ainda não conhecia a casa e já tinha vontade de entrar rapidamente para me proteger daquilo tudo. “Isto é capaz de ser areia demais para a minha camioneta…” ia pensando.

 

Começa a clausura de 120 dias

As primeiras horas, depois da porta fechada atrás de nós, estão simultaneamente muito presentes e ausentes na minha memória. Uns falavam que se desunhavam, outros mal abriam a boca; uns pareciam viver ali há muito tempo, outros demonstravam algum desconforto e necessidade de adaptação; mas todos pareciam concordar que a casa era muito bonita e simpática. E como se consegue conquistar pessoas pelo estômago (diz a minha avó) tínhamos uma mesa recheada de iguarias à nossa espera!

Delicias que duraram mais de uma semana e ainda foram parar ao caixote do lixo, tal era a fartura! Muitas vezes, durante a estada na casa, quando os alimentos escasseavam, me lembrei do bolo que foi quase todo fora… torradinho, com manteiga, calhava tão bem…

A euforia de absorver muita coisa em pouco tempo era evidente no grupo, de nos conhecermos, de nos instalarmos e começarmos uma nova vida. Mas para jovens, cuja média de idades rondava os 24 anos, foi fácil e rápido. Excepto para a Susana, uma loirinha muito bonita e sorridente que depressa captou a atenção masculina da casa.

In “Os Segredos da Casa”, 2010, Marta Cardoso

BB ep1

 

You Might Also Like

1 Comment

  • Reply
    Sara
    21 Setembro, 2015 at 7:43

    Que bom recordar… 😉

  • Leave a Reply